terça-feira, 23 de junho de 2015

Brasil vence a Croácia na Super Final da Liga Mundial Masculina de Polo Aquático 2015


A seleção brasileira masculina de polo aquático fez história em sua estreia na Super Final da Liga Mundial, no ‘Italcementi Swimming Complex’, em Bérgamo, na Itália, nesta 2ª feira, 23 de junho. Os brasileiros derrotaram pela primeira vez a Croácia, atual campeã olímpica, por 17 a 10, parciais de BRA 3 x 3 CRO / 6 x 2 / 6 x 1 / 2 x 4. O trabalho e o investimento visando os Jogos Rio 2016 caminham bem. A Liga Mundial, vai até o próximo domingo, 28/6, e os jogos podem ser assistidos na FINA TV. Em 2014, o Brasil terminou em 7º lugar.  
- Hoje foi um jogo histórico e jogamos muito bem, mas o foco este ano são os Jogos Pan-Americanos de Toronto. Tanto, que ainda hoje treinamos 2 horas pela manhã, incluindo musculação. Mas estamos felizes com o resultado – disse o técnico brasileiro Ratko Rudic, croata que dirigiu seu país no ouro olímpico nos Jogos de Londres/2012. Ratko tem seis medalhas olímpicas entre jogador e treinador. Quatro delas foram de ouro como técnico (pela antiga Iugoslávia em 1984 e 88, pela Itália em 1992 e pela Croácia em 2012), e é considerado por muitos, o melhor treinador do mundo.
Na histórica vitória sobre os croatas, o Brasil sempre esteve à frente no placar, jogando bem desde o início quando abriu 2 a 0 no marcador (Bernardo, 7’09” e Adrian, 6’27”). Os croatas empataram o jogo, mas o Brasil ficou à frente outra vez no primeiro período com um gol de Perrone (1’36”). Aos 32 segundos pro fim do quarto inicial, a Croácia empatou e foi a última vez na partida que nos viu em igualdade no placar.
No segundo período, o show começou. Com gols de Vrlic (7’14”), Perrone (7’01 e 5’34”), Adrian (4’56 e 3’05”) e Ives (1’37”), o Brasil foi pro intervalo maior com uma diferença de quatro gols sobre o adversário – 9 a 5 – que marcou apenas duas vezes aos 6’18” e aos 3’33”. E o que já era bom, ficou ainda melhor, pois no terceiro quarto, os brasileiros voltaram ainda melhor, com direito a substituição do goleiro Thyê, que jogou os quartos iniciais, por Vinícius, que atuou nos dois seguintes, ambos com excelente atuação, assim como todo o restante do time.
E os gols continuaram a vir a granel: Vrlic aos 7’14”, Felipe Santos (6’54”, sendo eliminado com três faltas logo a seguir), Adrian (5’46”), Bernardo Reis (1’59”), Jonas (23”1) e Grummy (2”). A Croácia marcou seu único gol no quarto aos 6’12”.
Mais relaxado, o time brasileiro viu a Croácia diminuir a desvantagem de nove gols para cinco até menos da metade para o fim do jogo, com gols aos 6’20”, 5’37”, 4’06 (de pênalti) e 3’06”. Para não dar chances ao azar, o Brasil forçou novamente o jogo e marcou um golaço com Vrlic, à inglesa (de costas pro gol) aos 2’42”, e com Adrian, artilheiro do jogo, dando números definitivos: 17 a 10.
A equipe brasileira está na chave A, ao lado de Hungria, China e Croácia. No outro jogo do grupo, os húngaros venceram a China por 18 a 8. Os chineses são os próximos adversários do Brasil, nesta 4ª feira, 24/6, a partir das 11 horas, de Brasília. A chave B é composta por Austrália, Sérvia, Itália e EUA. Na Liga Mundial Masculina, os croatas têm uma medalha de ouro, uma de prata e duas de bronze. Já a Hungria possui duas medalhas de ouro, quatro de prata e uma de bronze na competição. Os húngaros venceram as duas edições olímpicas anteriores a Londres: Atenas/2004 e Pequim/2008.
- Esta vitória histórica é fruto de um trabalho extenuante dos atletas com o técnico Rudic e com o preparador físico William Morales. Dá pra perceber que a marcação e o esquema tático implantado pelo Rudic abafou os adversários de forma impressionante já no meio-campo, com os jogadores brasileiros se adiantando. E fazer isto contra os campeões olímpicos é notável. Nossos jogadores souberam ouvir e entender todos os detalhes da forma de marcar que o Rudic queria. Desde os treinamentos em São Paulo, vi a aplicação com que treinaram e na hora do jogo nota-se a mão do grande treinador, que acabou por vencer a seleção de seu país a qual levou ao título olímpico em 2012 - afirmou Marcus Maynard, diretor de polo aquático da CBDA. 
Outro depoimento veio do supervisor-técnico da modalidade na CBDA, Ricardo Cabral, que destacou o planejamento feito. 
- Mais ou tão importante quanto esta vitória que mostra estarmos no rumo de entrar no primeiro escalão mundial do esporte foi o planejamento estratégico, estabelecendo ações que buscam metas a serem atingidas e que começam a ser. Neste planejamento estão, por exemplo, a vinda do melhor técnico do mundo, o croata Ratko Rudic, e o repatriamento do melhor jogador (MVP) da última Liga Europeia, o que pode ser considerado ser o melhor do mundo também, o Felipe Perrone. Objetivos já foram alcançados como a classificação para o Mundial de Kazan (nota: no último Mundial dos Esportes Aquáticos - Barcelona/201 - o Brasil não esteve presente no masculino) e  a classificação para esta Super Final da Liga Mundial. Agora queremos estar entre os seis melhores da Liga, mas lembrando que a meta principal no ano é a vitória em Toronto. Queremos o ouro dos Jogos Pan-Americanos. E depois, ampliar os treinamentos e jogos internacionais para este grupo visando a melhor preparação possível para as Olimpíadas do Rio - concluiu Cabral.
Seleção Brasileira
1 – Vinícius Antonelli / 2 – Jonas Crivella (1 gol) / 3 – Guilherme Gomes / 4 – Ives Alonso (1) / 5 – Paulo Salemi / 6 – Bernardo Gomes (1) / 7 – Adrian Delgado (5) / 8 – Felipe Silva (1) / 9 – Bernardo Reis Rocha (1)  / 10 – Felipe Perrone (capitão) (3) / 11 – Gustavo “Grummy” Guimarães (1) / 12 – Josip Vrlic (3) / 13 – Thyê Matos Bezerra.Técnico: Ratko Rudic / Auxiliares-Técnico: Eduardo Abla, Ângelo Coelho e João  Brandão / Vídeo-análise: João Brandão / Preparador Físico: William Morales 
Obs: O Brasil viajou com um 14º jogador, Rudá Franco.
Jogos do Brasil na 1ª fase da Super Final Masculina – hora de Brasília
Dia 24/6 – 4ª feira – Brasil x China – 11h
Dia 25/6 – 5ª feira – Brasil x Hungria – 12h20
Resultados
Dia 23/6
Grupo A = Brasil 17 x 10 Croácia / Hungria 18 x 8 China
Grupo B = Sérvia 13 x 7 EUA / Austrália 5 x 7 Itália
Histórico da Super Final da Liga Mundial Masculina de Polo Aquático
2002 - Ouro: Rússia / Prata: Espanha / Bronze: Hungria
2003 - Ouro: Hungria / Prata: Itália / Bronze: EUA
2004 - Ouro: Hungria / Prata: Sérvia & Montenegro / Bronze: Grécia
2005 - Ouro: Sérvia & Montenegro / Prata: Hungria / Bronze: Alemanha
2006 - Ouro: Sérvia & Montenegro / Prata: Espanha / Bronze: Grécia
2007 - Ouro: Sérvia  / Prata: Hungria / Bronze: Austrália
2008 - Ouro: Sérvia / Prata: EUA / Bronze: Austrália
2009 - Ouro: Montenegro / Prata: Croácia / Bronze: Sérvia
2010 - Ouro: Sérvia / Prata: Montenegro / Bronze: Croácia
2011 - Ouro: Sérvia / Prata: Itália / Bronze: Croácia
2012 - Ouro: Croácia / Prata: Espanha / Bronze: Itália
2013 - Ouro: Sérvia / Prata: Hungria / Bronze: Montenegro
2014:  Ouro: Sérvia / Prata: Hungria / Bronze: Montenegro


O QUE ACONTECE DE NOTÍCIA NO MUNDO DOS ESPORTES AQUÁTICOS VOCÊ LÊ PRIMEIRO AQUI - BLOG FRANCISSWIM 320.000 VISUALIZAÇÕES / MÊS NA WEB

























Nenhum comentário: