quinta-feira, 18 de maio de 2017

MEDALHAS NO MUNDIAL DE BUDAPESTE E PRIMEIRO LUGAR NO TROFÉU FINKEL SÃO AS PRÓXIMAS METAS DA NATAÇÃO UNISANTA


Os sete atletas classificados para o Mundial de Budapeste estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira (17), no Consistório da Universidade para atender à imprensa
Após classificar o maior número de nadadores do País para o Campeonato Mundial de Desportos Aquáticos, que acontece em julho, na Hungria, e se figurar entre as três maiores potências do País, a equipe técnica de natação da Universidade (Unisanta) já traça novas metas. Entre elas: medalhas no mundial e primeira colocação no Campeonato Brasileiro de Inverno – Troféu José Finkel, que acontece em agosto, na piscina da Unisanta.
As estratégias da equipe foram passadas em coletiva à imprensa, na manhã desta quarta-feira (17), no Consistório da Universidade, onde tiveram reunidos os sete atletas da Unisanta que conquistaram vaga para competir em Budapeste / Hungria. São eles: Ana Marcela Cunha e Victor Colonese, pela Maratona Aquática, e Joanna Maranhão, Leonardo de Deus, Thiago Simon, Nicholas Santos, Guilherme Costa, pela Natação.
“Temos muito o que comemorar por ter conquistado resultados tão expressivos nesta competição nacional e por estarmos hoje com o maior número de atletas nesta delegação brasileira. Este é realmente para a Unisanta um registro histórico”, afirmou Marcelo Teixeira, pró-reitor da Universidade Santa Cecília e presidente da Associação Santa Cecília de Esportes.

Marcelo lembrou ainda que o projeto da Universidade não está limitado ao mundial de Budapeste, e sim para Tóquio, onde serão realizadas as Olimpíadas de 2020. “O projeto principal da Universidade não é só focado nestes atletas que conseguiram o passaporte para essa competição tão importante, mas também em tantos outros quecompõem essa equipe, por exemplo, o jovem André Calvelo”. André é aluno do Colégio Santa Cecília, recordista no mundial escolar, detentor de 3 medalhas de ouro.
Para técnico Marcio Latuf, alguns atletas da Unisanta têm real chance de medalhas no Mundial e Nicholas Santos é um deles. Depois da era do traje, “Nicholas tem o melhor tempo do mundo nos 50m borboleta, ninguém chegou nem perto deste tempo”. A era traje a que o técnico se refere foi quando os nadadores usavam os supermaiôs, proibidos pela Federação Internacional de Natação (Fina) em 2010.
E Nicholas também se sente confiante em alcançar lugar no pódio entre os melhores do planeta e ainda vislumbra mais, o recorde mundial. “No Maria Lenk bati o recorde sul-americano e fiquei a dois centésimos do recorde mundial e esse com certeza é meu objetivo principal.”, afirma o nadador que aos 37 anos está se reinventando para não sair do topo.
Foquei no treinamento de final de prova, quando meu rendimento cai um pouco. Além disso, fomos testando várias técnicas, dietas e parte de descanso, pois eu não consigo ter a mesma rotina como os nadadores mais novos, preciso de mais descanso”.
Joanna Maranhão também teve que ser reinventar e traçar novas metas para chegar aos resultados alcançados no Maria Lenk. “Logo na primeira etapa, eu tinha proposto para o Márcio nadar os 100m borboleta abaixo de um minuto. Não é a minha prova, mas eu tinha a certeza que seria importante para a passagem dos 300m borboleta, 400m medley. E ele falou: ‘então vamos’. Peguei isso como desafio e cravei 59.9”.
Joana afirma ainda que para o Mundial vai fazer a mesma coisa, colocando práticas novas e tentando evoluir detalhes. “Consigo fazer isso muito bem, porque treino sozinha lá em BH e posso ficar mais focada em realmente só fazer técnica, mas quando eu venho para Santos, treino junto com a Ana (Marcela) e com Gabi (Roncatto), que é porrada o tempo inteiro. Então, eu consigo ter as duas situações, o que é muito bom para mim”.

Já Leonardo de Deus, que fez o quarto melhor tempo do mundo no ano nos 200m borboleta e está à frente de Chad Le Clos, campeão olímpico em 2012, sente que pela primeira vez em sua carreira, está fazendo o treinamento correto, específico para a sua prova.
“Na minha frente estão os dois medalhistas olímpicos do Rio, tanto o japonês quanto o húngaro. Sabemos que brigar no mundial não será fácil, pois esses nadadores estarão motivados. Estou tendo a oportunidade de treinar com um técnico que está fazendo tudo o que eu preciso para chegar a essa tão sonhada medalha de mundial. Pela primeira vez posso dizer que tenho chances reais de disputar uma medalha”.
Da mesma forma Thiago Simon, classificado nos 200m peito, também sonha estar entre os melhores em Budapeste. “Vou treinar bastante e dar um enfoque no medley, que com certeza pode gerar uma final”.
Em seu primeiro mundial, Guilherme Costa, de apenas 18 anos, ficou muito satisfeito com seu resultado no Maria Lenk, mas espera nadar abaixo dos 15 minutos nos 1500m livre e bater novo recorde. “No Brasileiro nadei muito bem a prova dos 400m, me surpreendi com o tempo, nos 1500m, queria novamente o recorde sul-americano, ficou muito perto. Mas na Hungria pretendo chegar a uma final dos 1500m e lá conseguir baixar meu tempo para menos 15 minutos, como venho tentando desde o início do ano”.
Maratona Aquática – Tradicionalmente conhecida como a melhor escola de Maratonas Aquáticas do Mundo, a Unisanta novamente emplaca dois nadadores para competir em Budapeste.
Ana Marcela Cunha, que participará de seu 9º. mundial, sendo oito consecutivos, nadará os 10km, 5km, 25km e o revezamento misto. E Victor Colonese, em sua 3ª. participação, nadará os 5km e os 25km.
“Com certeza, a prova dos 10km é mais especial, porque é a distância olímpica. Mas eu tenho duas medalhas de ouro na prova dos 25km, que também já virou um xodó. Como o Marcelo (Teixeira) falou, o que vai nos levar para Tóquio 2020 será a prova dos 10km. Então, temos que estar do começo ao fim, com 100% nesta prova, para que não haja nenhum erro”, afirma Ana Marcela Cunha, que tem um currículo brilhante em mundiais, com 7 medalhas.
Victor Colonese, em seu terceiro Mundial, se sente mais maduro e experiente. “Estou ganhando experiência a cada mundial que participo, e meu foco é Tóquio 2020. Infelizmente não consegui a classificação para as Olimpíadas Rio 2016, mas vou continuar treinando para ter o melhor resultado possível em Budapeste e continuar, assim, até o final do ciclo olímpico”.
MARATONA AQUÁTICA
– Ana Marcela Cunha – classificada em primeiro lugar para nos 10 e 5km– nadará também o revezamento e os 25km
Técnico: Márcio Latuf
A atleta participará do seu 9º. mundial
– Victor Colonese – classificado nos 5km e 25km
Técnico: Márcio Latuf
O atleta participará do seu 3º. mundial
NATAÇÃO
Joanna Maranhão – classificada nos 400m medley
Técnico: Márcio Latuf
A atleta participará do seu 6º. mundial
Nicholas Santos – classificado nos 50m borboleta
Técnico: Felipe Domingues
O atleta participará do seu 7º. mundial
Leonardo de Deus – classificado nos 200m borboleta
Técnico: Felipe Domingues
O atleta participará do seu 3º. mundial
Thiago Simon – classificado nos 200m peito
Técnico: Felipe Domingues
O atleta participará do seu 5º. mundial
Guilherme Costa – classificado nos 1500m livre
Técnico: Rogério Karfunkelstein
O atleta participará do seu 1º. mundial


por Elizabeth Faria Imprensa Minas Tênis Clube


Nenhum comentário: