terça-feira, 4 de julho de 2017

Sobre arbitrar ... Por Catarina Ganzeli


Eu me sinto muito honrada em poder trabalhar como árbitra de natação. Além de estar inserida em um ambiente com pessoas as quais me identifico e tem valores muito próximos dos meus, o que faz com que me sinta em casa, sou muito bem tratada.
Arbitrar é um ato de amor. Amor pelo esporte ao qual você se dedica. Arbitrar é reconhecimento, reconhecimento do esforço, da árdua rotina, daqueles guerreiros que se desafiam na frente de todos, cobertos de cobranças, para poder criar a melhor versão de si mesmos. Arbitrar é um ato de responsabilidade, onde você zela para que o maior prêmio que um atleta pode ganhar, um resultado de seu esforço, chegue a ele de forma justa e merecida.
Digo que os árbitros se vestem de branco, pois são anjos desses guerreiros, o que mais me dá certeza disso é que a maioria do corpo de arbitragem é composto por ex atletas, que possuem uma imensa empatia com os que ali estão, realizando seus extraordinários feitos ao competir, e outra grande parte é composta por pais de atletas, os quais sentem na pele cada dor e alegria que um atleta sente durante toda sua rotina, só que multiplicado por dez.
Esse grupo seleto de pessoas são responsáveis por zelar para que a competição ocorra da melhor maneira possível. São essas pessoas que deixam suas famílias em casa e saem cedo, faça chuva ou faça sol, para passar até 10h entre um levantar e sentar em cadeiras, normalmente todos molhados, sem ir ao banheiro, comer ou mexer no celular, para que aqueles que passaram meses se preparando tenham o merecido momento de colher seus frutos.
Eu sou árbitra de natação e cada vez que eu visto aquele uniforme e entro na borda da piscina, sou grata por poder entregar àqueles que merecem, a oportunidade de viver esse momento. Me sinto verdadeiramente honrada e realizada em poder cumprir com um ato de tamanha responsabilidade, que só quem foi ou vivenciou a vida de atleta sabe o valor desses momentos.
Lembrando sempre que cada função é essencial para que a competição ocorra, não existe uma que seja mais importante do que a outra, são todas igualmente fundamentais. Fica aqui meu agradecimento à todos os anjosque fazem parte da construção desse espetáculo que o esporte proporciona, onde encontramos as mais lindas glórias da vida: a determinação, a esperança, a coragem, a ousadia, a paixão, a disciplina, a perseverança, o comprometimento, a entrega, a realização e a alegria. Sou muito grata por dividir esse posto com todos vocês.


Catarina Ganzeli - Diário de uma menina apaixonada pelo que faz. Sua diversão é se perder nas imensidões azuis que por ai existem, para quem sabe um dia, se encontrar.






Nenhum comentário: